sábado, 26 de setembro de 2009

Lira do Amor Romântico



Atirei um limão n'água
Pedindo à água que o arraste.
Até os peixes choraram
Porque tu me abandonaste.

Atirei um limão n'água
Foi tamanho rebuliço.
Que os peixinhos protestaram:
Se é amor, deixa disso.

Atirei um limão n'água
Não fez o menor ruído.
Se os peixes nada disseram
Tu me terás esquecido?

Atirei um limão n'água
Caiu certeiro: zás-trás.
Bem me avisou um peixinho.
Fui passado para trás.

Atirei um limão n'água
De clara ficou escura.
Até os peixes já sabe:
Você não ama, tortura.

Atirei um limão n'água
E caí n'água também.
Pois os peixes me avisaram
Que lá estava meu bem.

Atirei um limão n'água
Foi levado na corrente.
Senti que os peixes diziam:
Hás de amar eternamente.

Carlos Drummond de Andrade


Fonte: amopoesias

2 comentários:

Multiolhares disse...

será que um limão conhece mais da vida do que dos humanos.
beijinhos

Silvia disse...

Um limao certamente com perfume de narciso, mas olha, eu tambem vou jogar limao na agua e escutar os peixes. Os peixes sempre sabem algo que a gente nao... Beijos!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails