terça-feira, 27 de setembro de 2011

Kissu "O tabu do beijo no Japão"

O beijo no Japão não é um hábito que nós ocidentais estamos acostumados. Na verdade é que na terra do sol nascente ele é tido como um tabu!

Nós ocidentais somos íntimos desse costume que nos parece corriqueiros quando encontramos amigos em meio a lugares públicos e nos cumprimentamos com um, dois e até três beijos dependendo do costume da região. Cometemos esse ato praticamente por instinto.

No Japão o ato de beijar não é uma ação tão simples assim.
O fato é que lá não existe propriamente, uma palavra que seja em sua total tradução pura e simples um sinônimo para "beijo". Não existe o verbo beijar! Isso pode nos parecer incrível, mas para eles, o beijo não fazia parte de sua cultura há tempos longínquos, onde o beijo era tido como um ato profundamente íntimo e, era proibido ser praticado em público, sendo rotulado como um verdadeiro escândalo e falta de respeito.

Existem algumas palavras que podem ser usadas como uma definição para beijo. Contudo, a palavra que realmente é usada como um sinônimo de beijo veio a ser um neologismo criado pelos japoneses por influência da língua americana, vindo a surgir à palavra neológica “Kissu ou Kisu” que provem do “Kiss” (beijo em inglês).

No dicionário japonês (dicionário japonês / português), existe a palavra “Seppun” e tem em sua descrição: (Forma de demonstrar o sentimento, o respeito, levando-se os seus lábios em contato com os lábios, bochecha ou mãos de uma pessoa e sugando-o). No entanto, existe uma palavra mais significativa para se dizer beijo em japonês que não seja o neologismo "Kissu" ou o "Seppun", sendo que esse último não tem um sinônimo com apenas uma única palavra para defini-lo. Pode-se dizer então: “kachizuke”, que traduzido ao pé da letra quer dizer: (Encostar a boca) e beijar é “kuchizuke-seru": (Bocas encostando). Essas palavras não são propriamente sinônimos da palavra beijo, sendo que o neologismo "Kissu", mesmo não sendo uma palavra criada por seus ancestrais e nem tão pouco seja genuinamente japonesa, é a que realmente representa e traduz a palavra beijo.


Os japoneses sempre se cumprimentam curvando-se (Ojigi - cumprimento japonês). O aperto de mão não existe por lá! É raro ver casais se beijando em público e caso aconteça, as pessoas que vêem ficam ruborizadas - os mais conservadores - e até mesmo ficam chocados. Poderia dizer que seria por timidez podendo ser relacionado à sua cultura de profunda raiz passada de pais para filhos pelo qual seus ancestrais tinham o beijo como o início para o ato sexual e por isso era uma demonstração de carinho somente para ocasiões muito íntimas.


Após a Segunda Guerra Mundial os japoneses tiveram um contato mais profundo com a liberdade americana e o ato de beijar passou a ser considerado menos reprimido e veio ser considerada uma demonstração de simples carinho e amizade. No entanto, ainda não é comum vê-los se beijando em lugares públicos como fazemos quando encontramos amigos. Geralmente curvam-se quando vêem alguém conhecido e essa ação ainda é o cumprimento mais comum entre eles. O ato de beijar-se afetuosamente mesmo entre amigos é guardado para aqueles que lhes são muito caros, e raramente aventuram-se a fazer em público. Ainda não é instintivo como nós ocidentais e muito poucos ainda se cumprimentam com um beijo.

Apesar do beijo ainda não ser tão comum no Japão, hoje em dia as crianças e adolescentes já se beijam com mais freqüência em sinal de cumprimento. Isso já é um grande passo para que a frigidez dos japoneses futuramente consiga eliminar esse tabu por completo, expressando seus sentimentos sem medo, timidez ou repressão e que o simples ato de beijar não seja para eles algo como muito íntimo, e que venha a representar "A mais pura expressão de carinho", seja para qualquer pessoa que conheçam e em qualquer ocasião.
Fonte: mundonipo.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails