sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Soneto do Amor Como um Rio


Este infinito amor que um ano faz
Que é maior do que o tempo e do que tudo
Este amor que é real, e que, contudo,
Eu já não cria que existisse mais.

Este amor que surgiu insuspeitado
E que dentro do drama fez-se em paz
Este amor que é o tumulo onde jaz
Meu corpo para sempre sepultado.

Este amor meu é como um rio; um rio
Noturno, interminável e tardio
A deslizar macio pelo ermo

E que em seu curso sideral me leva
Iluminado de paixão na treva
Para o espaço sem fim de um mar sem termo.

Vinicius de Moraes
viniciuspoe

4 comentários:

Fatima disse...

Voltou afiadinho igual faca nova heim Ely.
Todos lindos!
bjs.

Sylvia disse...

Extraordinario! Vinicius de Morais nunca desilude! Que poeta!

Sammyra Santana disse...

aiai... Vinicinho é sempre o melhor!
eu ia casar com ele, já tava tudo certo! mas ele morreu antes de eu nascer! :(
hihi
Bjo

Barbara disse...

Vinícius.
Como comentar Vinícius de Moraes?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails