sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Importancia da informação certa


Se paciência pudesse ser comercializada em comprimidos ou xarope provavelmente se tornaria um sucesso de vendas pois hoje muita gente está à procura desta “mercadoria” tão rara hoje em dia.

Respeitados cavalheiros da sociedade , médicos , juizes , altos executivos se transformam em “bichos” no transito fazendo de seus veículos verdadeiros tanques de guerra.
Senhoras bem vestidas acompanhadas de motorista , se descontrolam , berrando palavrões aos quatro cantos parecendo bandidos acuados.

As pessoas reclamam da demora do caixa eletrônico em dar o saldo e se esquecem que há pouco tempo atrás tudo no banco era feito apenas via filas.

Encontro diversos amigos que não tem paciência para ler seus próprios e-mails , pessoas que deletam textos maravilhosos pois acham que são muito extensos para lerem.

Estamos nos tornando imediatistas a paciência se tornou uma das virtudes mais ignoradas nos dias de hoje , a falta dela envenena o coração , muitas vezes nos tornando pessoas grosseiras , mal-humoradas , incompreensivas.

Muitas vezes chegamos a confundir impaciência com dinamismo , pró-atividade e aceleração do dia a dia , mas não se deixe enganar , são características bem diferentes.
Mas apesar da paciência e da serenidade se mostrarem importantes no desenrolar da vida de todos nós , algumas pitadas de inquietação, insatisfação e até da própria impaciência podem ser ingredientes vitais na receita de uma carreira profissional e de uma vida pessoal mais apimentada, fora da rotina e da acomodação.

O equilíbrio é o caminho , quando eu era adolescente em meu quarto havia um quadro com o monge ajoelhado rezando , com os seguintes dizeres : “Senhor daí-me paciência , mas tem que ser agora” , se voce riu talvez tenha entendido o que é paciência.


"Em um mundo onde existe uma riqueza de informação, existe frequentemente uma pobreza de atenção." Ken Mehlman


Informação :
Um dia, Khoja estava cortando lenha à beira da estrada, a uns poucos quilômetros de Akshehir. Transcorrido algum tempo, um homem veio pela estrada, caminhando na direção de Akshehir, e perguntou ao Khoja:

- O senhor poderá dizer-me quanto tempo levarei até chegar a Akshehir?

Khoja ouviu-o e ergueu a vista da sua tarefa, mas nada disse. Por isso o homem, em voz mais alta, insistiu:

- Quanto tempo levarei para chegar até a Akshehir?

Mas o Khoja continuou em silêncio. Dessa vez o homem bramiu, indignado:

- Quanto tempo levarei para chegar a Akshehir?

Como Khoja continuou mudo, o homem chegou à conclusão de que ele era surdo; e assim se pôs a caminhar depressa no rumo da cidade. Nasreddin Khoja observou-o a caminhar por uns instantes e de repente lhe gritou:

Uma hora!

- Por que não me disse isso antes? - Desabafou-se o zangado viajante.

- Porque eu primeiro precisava conhecer a velocidade da sua marcha - respondeu o Khoja .

Baseado em uma historia do livro "A Busca"
Jean Sulzberger

Fonte: malima

Um comentário:

s2 Novidades e Curiosidades s2 disse...

É bem assim mesmo conheço varias pessoas assim, que não tem nem um pingo de paciência até eu mesma as vezes quando estou bem nervosa não tenho paciência.
Adorei a história é bem legal.
Kiss

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails